“Young Europe Debates” 1ª reunião - Roménia

A primeira reunião transnacional do projeto Erasmus + “Young Europe Debates” teve lugar em Iasi, na Roménia, de 6 a 10 de dezembro de 2017.
Três professores do Agrupamento de Escolas de Aveiro encontraram-se com professores romenos, croatas e alemães para organizar a atividade de Ensino /Aprendizagem com alunos, que deverá acontecer de 22 a 28 de janeiro de 2018. A escola Colegiul National, em Iasi é uma escola pública, no centro da cidade universitária, com alunos muito bons e empenhados.

Texto e fotos de 
Profª Maria José Dias



O Perfeito Natal: social, ambiental e não-consumista




O Natal chegou… Lá, lá, lá… Hora de muitos presentes… e muita comida deliciosa…
O teu Natal tem de ser diferente para o bem de toda a humanidade. Concentra-te nesta ideia: é importante ter preocupações sociais, ambientais e não-consumistas.
Vamos começar pelo ambiental. Enquanto fazes as tuas compras de Natal, tenta considerar a Natureza que nos dá tudo, dando-lhe valor. O Natal, para muitas famílias, é tempo de gastar: papel de embrulho, peru assado, brinquedos… e a Natureza sofre por tudo! Tenta variar e gastar menos. Se as pessoas comprarem tudo o que resta de algo, talvez não haja mais no supermercado. Além disso, existem outras delícias natalícias que, na minha opinião, tens que provar!
Vamos passar para um Natal não-consumista. Tenta comprar apenas o necessário para o Natal. Todos nós concordamos… até a tua carteira!
E quanto ao Natal social? Bem, bem, bem… Tenta interagir mais com a sociedade. Provavelmente, na tua localidade (ou na tua cidade) haverá uma festa de Natal onde todos podem ir festejar! Se não queres gastar muito dinheiro, participa nessas festas. Haverá sempre uma comissão encarregue de cobrir as despesas e podes divertir-te com os teus vizinhos e amigos! Mas se queres contribuir para a sociedade neste Natal, doa alimentos, dinheiro e outros produtos aos que mais precisam.
Agora já sabes o que fazer: lê este artigo quantas vezes forem precisas e porta-te bem!

Texto: Letícia Bastos, 6ºK, Clube de Jornalismo
Foto: Mariana Morais, 5ºB, Clube de Jornalismo







9 de dezembro - Dia Internacional Contra a Corrupção


 
   Apresentamos-te o dia do primeiro passo do mundo contra um crime: a corrupção.

   A 9 de dezembro de 2003, os países-membros da ONU assinaram uma convenção muito importante: a Convenção das Nações Unidas Contra a Corrupção.

   Os objetivos deste dia são bem claros para todos: denunciar, espalhar a data pelas redes sociais, criar ações e eventos de combate à corrupção.

   Se não fizermos nada, a corrupção pode ser ainda mais perigosa: a economia de vários países pode ir abaixo, o que significa que a sociedade ficará mais pobre a cada momento.

   Se não queres que nada disto aconteça, despacha-te! Todo o apoio é precioso!

Texto: Letícia Bastos, 6º K, Clube de Jornalismo

Dia da segurança do computador



  O dia da segurança do computador celebra-se a 30 de novembro.
   

      Este dia foi criado em 1988, nos Estados Unidos, com o objetivo de combater os riscos de insegurança dos dados pessoais na utilização de um computador. Estando em empresas ou em casa, é importante tomar medidas de proteção à informação de um computador.

      Neste dia, podes fazer uma pesquisa com o teu computador sobre os vírus, mas não te esqueças de instalar o antivírus para não correres riscos. Outra coisa que podes fazer neste dia é aumentar a segurança do teu computador, mudando as senhas dos sites mais importantes.



                        Sabias que…

                       As senhas dos sites devem ser  
                   mudadas de 6 em 6 meses!!!



          Só deves navegar em sites ou fazer   
    compras em sites começados por “https” 
            (com a  imagem de um cadeado) 
onde a informação é encriptada.






Fonte da imagem: goo.gl/dmyxsN

Trabalho realizado por: Maria Inês Fonseca, 6ºk, Clube de Jornalismo

1º de dezembro de 1640: dia da resturação da independência de Portugal



A morte de D. Sebastião, em 1578, trouxe problemas de sucessão ao trono.

Este era disputado por diversos pretendentes. Entre eles, destacavam-se a duquesa de Bragança, D. Catarina, Filipe II de Espanha, e D. António, Prior do Crato. O mais legítimo herdeiro seria a duquesa, mesmo sendo mulher, já que descendia de D. Manuel por via masculina; Filipe II, por seu turno, era um estrangeiro e descendente de D. Manuel por via feminina; quanto a D. António, embora fosse também neto por via masculina, pesava sobre ele o facto de ser filho bastardo e de a sua mãe ser cristã-nova.

Filipe, no entanto, conseguiu subornar os grandes do reino com o ouro vindo das Américas, e a coroa começou a pender favoravelmente para o seu lado. Para estes, a ideia de uma união pessoal com a Espanha seria altamente proveitosa para Portugal, que estava a passar um mau momento económico.

A 24 de Julho de 1580, durante a preparação para a esperada invasão espanhola, D. António foi aclamado rei de Portugal pelo povo, no castelo de Santarém. D. António pedira ao povo que o aclamasse apenas regedor e defensor do reino, mas já o povo rejubilava. É aclamado também em Lisboa, Setúbal e em numerosos outros lugares [1]. No entanto, um mês mais tarde, a 25 de Agosto, as suas forças são derrotadas na batalha de Alcântara pelas do duque de Alba.

Em 1580 inicia-se a União Ibérica ou Domínio Filipino que trouxe desvantagens para Portugal e, para além disso, foi um período de 60 anos em que Portugal esteve sob o domínio de reis espanhóis.

Ao descontentamento do povo, provocado pelo agravamento dos impostos, associou-se o da nobreza e o da burguesia.

A nobreza, porque não tinha acesso aos altos cargos a que aspirava e era obrigada a participar na guerra sem qualquer recompensa; a burguesia, porque viu diminuir os seus lucros comerciais com a concorrência de holandeses, ingleses e franceses e com os ataques às nossas colónias.

Toda esta situação fez aparecer em Portugal um clima generalizado de agitação. A nobreza começou então a conspirar e a preparar uma revolta. Foi no Palácio da Independência, também chamado Palácio da Restauração, que D. Antão de Almada, o proprietário do palácio, e os 40 conjurados planearam a última reunião que deu origem à Restauração da Independência de Portugal. Este palácio fica situado no Largo de São Domingos, junto ao Largo do Rossio em Lisboa.

No dia 1 de dezembro de 1640, alguns nobres portugueses vão ao Paço da Ribeira, matam o secretário de Estado, D. Miguel Vasconcelos, e prendem a duquesa de Mântua, que era a representante do rei de Espanha em Portugal.

É, então restaurada a independência de Portugal e D. João IV é aclamado rei. Entretanto começa a Guerra da Restauração, na qual os portugueses vencem os espanhóis em várias batalhas e, termina em 1668, com um tratado de paz entre Portugal e Espanha.





Texto: Maria José Fernandes, 7º B, Clube de Jornalismo

Fontes: História e Geografia de Portugal, 5ºano, Fátima Costa e António Marques, Porto Editora; Wikipédia.

Foto do palácio da Independência: goo.gl/qGUPQa










Grande enchente no lançamento do Jornal Moliceiro



   No dia 30 de novembro, no polivalente da Escola João Afonso, aconteceu uma grande festa no lançamento do primeiro número do Jornal Moliceiro, jornal do Agrupamento de Escolas de Aveiro.


   O polivalente estava completamente cheio. Muitos alunos e professores compraram o jornal, que o Clube de Jornalismo e muitos colaboradores de todo o Agrupamento fizeram com trabalho árduo e criatividade.


   A festa começou com um miniconcerto de saxofone. Foi um bonito momento musical, realizado por alunos da Escola João Afonso e do Conservatório de Música de Aveiro. A encerrar a festa, o Clube de Dança da Escola João Afonso animou todo o público com uma apresentação cheia de energia.


   Contamos contigo para que o nosso jornal continue vivo com mais números e lançamentos! 

   Envia-nos os teus trabalhos para jornalmoliceiro@gmail.com .




Letícia Bastos, 6ºK e Mariana Morais, 5ºB, Clube de Jornalismo